Estado Livre

Minha foto

Bacharel em Administração Pública pela Universidade Católica de Brasília e FACAPE/PE, consultor em administração pública e, em desenvolvimento organizacional, com 46 anos de experiência na área pública iniciada no Exército e, que continuo em toda extensão da vida civil. Responsável por relevantes trabalhos em importância e quantidade, na área de formação e relacionadas ao desenvolvimento da administração pública e das organizações civis; dentre os quais: implantação de entes públicos, reformas administrativas e institucionais, incluindo implantação de município recém-emancipado, planos de carreira, regime jurídico dos servidores, concursos públicos, códigos tributários municipais, defesas de contas públicas, audiências públicas, controle interno, normas de posturas e ambientais, etc. Com a atuação ativa na área da filantropia e das organizações sociais. Com passagens e atuação no Rio de Janeiro, Brasília, Bahia e Pernambuco, onde, inclusive, fixou residência.      

terça-feira, 28 de junho de 2016

Poetizando. Um direito de expor a alma, em: Longo Adeus

Longo Adeus
   
                                                                 *Nildo Lima Santos

Por que tanta ternura se transforma em amargura...
Volvendo-me em tempestades de prantos?!...
Por que do amor tanta dor em largura?!...
Por que das tristezas em mim em todos os cantos?!...

Seguirás com o sorriso que foi meu um dia...
Amarás com a realidade que só em mim viveu
Sentirás os arquejos da paixão em agonia
Que atinge este ser que ainda não feneceu.

Abrocharás para a realidade vivida...
Encontrando-me em todos lugares e pensamentos
Encontrarás as horas, duras, perdidas...
Nas marcas do passado que são monumentos.

Sempre viverás para mim e em mim...
Mesmo em outra caminhada e outra estrada
Nunca deixarei chegar o teu fim...
Nem te morrer em mim, bem amada.

Seguirás um dia para o céu que acreditas...
Lá estarei – não teu deus – mas pelo teu Deus...
Que por ser teu é o meu, e te precipitas
Para o cumprimento fiel de um longo adeus.


Brasília/1982  
Postar um comentário