quinta-feira, 11 de maio de 2017

Acordo 13º Salário de 1988. Registro histórico do primeiro pagamento feito pelo Município de Juazeiro


PRIMEIRA DIRETORIA DA ASPEM

O registro histórico em que foi pago pela primeira vez 13º salário aos servidores públicos municipais, no governo Jorge Khoury, o qual se comprometeu e assumiu o compromisso pagando-o, não tão somente aos servidores do Serviço Autônomo de Limpeza Pública, mas, também, a todos os servidores da Administração Pública Municipal de Juazeiro - sendo portanto, um dos poucos municípios no Brasil que passou a efetivamente pagar o 13º salário. Foi uma vitória dos servidores públicos através da ASPEM (Associação dos Servidores Públicos do Município de Juazeiro) e do próprio gestor no cumprimento de sua promessa, mesmo, sabendo-se existir fortes impedimentos considerando as parcas receitas do Município de Juazdeiro, época. Não sabem as pessoas da cidade, mas, foi o prefeito Jorge Khoury que levantou a bandeira para a constituição de um clube dos servidores públicos e, a mim, coube a obrigação de fazê-lo, onde somente foi possível através da constituição de uma Associação de Servidores Públicos - era o máximo que a Constituição Federal de 1967 permitia. Feito o primeiro pagamento pelo bom gestor da época, a partir daí nunca mais os servidores deixaram de ter essa gaarantia. Há de ser considerado que o momento era um tanto conturbado e contava apenas um pouco mais de um mês da promulgação da Constituição Federal de 1988, que se deu em 05 de outubro de 1999, e o Acordo foi firmado em 13 de dezembro de 1988. 

Na época, mesmo considerando que a iniciativa e todo apoio para a organização dos servidores públicos municipais de Juazeiro, em uma classe efetiva e coesa, tenha partido do gabinete do Sr. Prefeito Jorge Khoury, com a competente interlocução com o seu Chefe de Gabinete, o saudoso amigo Eliseu Santos, a entidade em momento algum tomou partido político partidário. Todos os membros da ASPEM e que depois passou a ser SINSERP, sob a minha direção, tinahm a plena liberdade para suas escolhas políticas de acordo com as suas conveniências e consciência. Portanto, jamais tivemos qualquer ingerência do Prefeito e/ou seus comandados junto a tal entidade. Respirava-se, de fato, democracia...! Até que surgiu um certo Prefeito que o substituiu em 1989 e iniciou a caça às bruxas na perseguição de diretores da entidade e, posteriormente, a mim mesmo, em razão de ter feito denúncia e não ter aceito tal tipo de coisa. Esse tal gestor se dizia e, ainda, se diz democrático, militando na esquerda, a partir do tal partido que está nas cristas das ondas da corrupção neste País.  








  
Postar um comentário