Estado Livre

Minha foto

Bacharel em Administração Pública pela Universidade Católica de Brasília e FACAPE/PE, consultor em administração pública e, em desenvolvimento organizacional, com 46 anos de experiência na área pública iniciada no Exército e, que continuo em toda extensão da vida civil. Responsável por relevantes trabalhos em importância e quantidade, na área de formação e relacionadas ao desenvolvimento da administração pública e das organizações civis; dentre os quais: implantação de entes públicos, reformas administrativas e institucionais, incluindo implantação de município recém-emancipado, planos de carreira, regime jurídico dos servidores, concursos públicos, códigos tributários municipais, defesas de contas públicas, audiências públicas, controle interno, normas de posturas e ambientais, etc. Com a atuação ativa na área da filantropia e das organizações sociais. Com passagens e atuação no Rio de Janeiro, Brasília, Bahia e Pernambuco, onde, inclusive, fixou residência.      

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Conselhos de políticas públicas. Domínio dos esquerdopatas. Inicio do aparelhamento do Estado

Nildo Lima Santos. Consultor em Administração Pública

O aparelhamento dos conselhos de políticas públicas pelos esquerdistas e, em especial, pelo PT, surgiu, efetivamente, bem antes do acesso dos esquerdistas aos cargos políticos de comando nos Poderes Executivos e Legislativo e com a cumplicidade de muitos representantes da Igreja Católica e do Ministério Público por este País afora; os quais, na maioria, tinham e ainda têm, entendimentos equivocados sobre as funções de tais conselhos, achando-os que devem ser, necessáriamente, antagônicos aos interesses e objetivos da Administração Pública, quando essa está sob o comando de quem não têm os prerequisitos populistas apregoados como necessários para o que - na visão deles - é o politicamente correto !!! Não entendem que os Conselhos de Políticas Públicas integram a organização do Estado ao qual se vinculam diretamente. Os Conselhos de Políticas Públicas, em especial os da Criança e do Adolescente e os Conselhos Tutelares, foram as portas abertas para o aparelhamento do Estado pelos partidos de esquerda que destruíram o Brasil. 

Isso posto, é forçoso ser reconhecido que, os Conselhos de Políticas Públicas transformaram-se mais em meros departamentos de determinados partidos políticos e menos em orientadores e traçadores de diretrizes políticas gerais - em tese - para a sociedade, quando considerados os presupostos básicos da gestão pública no cumprimento da legalidade, da razoabilidade e da supremacia do interesse público.  
Postar um comentário